| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Momento UniFIAMFAAM - Semanário Digital
Desde: 06/12/2001      Publicadas: 4182      Atualização: 26/09/2007

Capa |  AGENCIA DE NOTÍCIAS  |  PROFESSORES DO UniFIAM FAAM  |  UniFIAM FAAM DIGITAL


 UniFIAM FAAM DIGITAL

  28/11/2006
  0 comentário(s)


MÉDICOS TEMEM 'GOOGLE-CONSULTÓRIO'

Estudo diz que site permite identificar corretamente doenças, mas há risco de automedicação e diagnóstico errado

MÉDICOS TEMEM 'GOOGLE-CONSULTÓRIO' Site de pesquisas mais usado na internet, o Google está se tornando uma espécie de consultório virtual dos internautas, para preocupação dos médicos. Pessoas acessam as páginas em busca de informações sobre doenças - desde a simples identificação de sintomas até a interpretação de exames e tratamentos. Surpreendido por um paciente que chegou a seu consultório com sugestão de diagnóstico e tratamento para a doença do filho, o médico Hangwi Tang, do Hospital Princess Alexandra, na Austrália, resolveu testar a precisão de diagnóstico do Google. A internet acertou em 58% dos casos. Tang examinou casos publicados ao longo de um ano pela revista médica New England Journal of Medicine sem consultar os diagnósticos corretos. Com a busca por até cinco termos citados nos estudos, o Google forneceu dados permitindo que médicos chegassem a diagnósticos iguais aos publicados. O site acertou o diagnóstico de linfoma e síndrome torácica aguda, por exemplo, mas pensou que a febre do Nilo Ocidental fosse a 'doença do enxerto contra o hospedeiro'. Tang concluiu que ferramentas de busca como o Google são boas como complemento para os médicos. Isto é, não podem substituí-los. Mesmo assim, o temor é que os resultados da experiência sejam simplificados e levem as pessoas a acreditar que uma busca na internet substitui uma consulta. 'Alguns confundiram nosso estudo com uma defesa do uso do Google como uma ferramenta essencial de diagnóstico', diz Tang. Ele publicou seu estudo, intitulado Dando um Google em busca de um diagnóstico, na edição online de novembro da revista especializada British Medical Journal. Alguns comentários publicados em blogs e sites de saúde depois da divulgação da experiência sugeriram que, para muita gente, os sites são tão bons quanto os médicos. Um deles chegou a afirmar que 'são um instrumento de diagnóstico melhor que o estetoscópio'. O que alguns na blogosfera esqueceram, diz Tang, é que a internet é útil particularmente nas mãos de um médico ou outro especialista em saúde. 'Os clínicos têm mais referência sobre sintomas inusuais e os termos técnicos para os sintomas', afirma ele. Quanto mais precisos são os termos da busca, mais exato é o diagnóstico. 'Além disso, há muito lixo na web e um especialista pode eliminá-lo rapidamente.' CONFIÁVEL? Essa busca de informações também chama a atenção no Brasil. O clínico geral e professor convidado da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) Flávio Dantas diz que essa é uma tendência natural e relatada com freqüência, mas que precisa de orientações. 'É fundamental oferecer uma fonte confiável para o público', diz. Ele alerta que durante as pesquisas é importante verificar o perfil dos sites acessados. As páginas das instituições oficiais, como as universidades e associações médicas, são as mais recomendáveis. 'Quando um site tem interesses comercias e estimula a venda de algum produto, a pessoa deve desconfiar', diz ele. Esse tipo de precaução pode evitar efeitos indesejáveis. 'A pessoa pode achar que tem uma doença que não tem, ou comprar um produto (remédio) e ele ter um efeito adverso', alerta Dantas. A assessora comercial Maria Júlia Paim, de 22 anos, utiliza o Google para buscas freqüentes sobre problemas de saúde que tem para se adaptar a anticoncepcionais, assuntos relacionados a depressão e alimentação. Para ela, os sites mais confiáveis são geralmente aqueles que aparecem entre os primeiros links do Google, 'por serem também os mais acessados'. 'Geralmente nem passo das primeiras páginas ', conta. Apesar disso, ela diz procurar sempre por informações em sites relacionados a universidades, ou com a identificação do autor. 'Os sites que têm dicas em debates de usuários não são tão confiáveis, apesar de causarem curiosidade', diz. Essa curiosidade, segundo o psicólogo Salomão Rabinovich, da Academia Paulista de Psicologia, pode levar a um perigo maior: a automedicação. Além do excesso de informações na rede de computadores, isso é facilitado pela falta de acesso à saúde e de um acompanhamento médico constante. 'Nós temos um problema que é a falta dos médicos de família', diz. Nessa busca pela informação, o mais importante é conseguir estabelecer filtros, e não aceitar tudo o que aparece na tela do computador como sendo a verdade. 'Não dar informação nenhuma é ruim. Mas informação em excesso para quem não tem capacidade de entendê-la também pode ser muito ruim', afirma o psicólogo. COMO PESQUISAR COM SEGURANÇA Confiança: Uma das principais fontes de consulta deve ser o próprio médico. O paciente pode pedir a ele informações sobre sites da internet que tenham informação confiável sobre seu problema Oficiais: Os especialistas alertam que os chamados 'sites oficiais' podem ser fontes mais confiáveis. Bons exemplos são as páginas de universidades, instituições de saúde, órgãos governamentais e associações médicas Comercial: O internauta deve desconfiar das informações sempre que o site pesquisado tiver fins comerciais e promover a venda de produtos médicos e medicamentos. Geralmente essas informações são tendenciosas ou parciais Profissionais: Outra opção válida para os pacientes é procurar informações úteis em sites de profissionais médicos que sejam credenciados, reconhecidos e com credibilidade Medicação: Seja qual for a fonte pesquisada na internet, em hipótese nenhuma a pessoa deve medicar-se por conta própria a partir dessas informações Fonte: O Estado de São Paulo



  Mais notícias da seção Comunicação Comparada no caderno UniFIAM FAAM DIGITAL
20/09/2007 - Comunicação Comparada - FENAJ DISPONIBILIZA TEXTO ATUALIZADO DO CÓDIGO DE ÉTICA
O Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros vigora há 20 anos...
23/08/2007 - Comunicação Comparada - GLOBO CONDENADA A PAGAR R$ 350 MIL A DESEMBARGADOR
Ação foi motivada por reportagens que teriam 'ferido a honra' da família do magistrado...
08/08/2007 - Comunicação Comparada - SÓ HÁ VIOLAÇÃO DA HONRA SE JORNAL DIVULGA NOTÍCIAS FALSAS
Por dentro de legislação em comunicação.... ...
26/06/2007 - Comunicação Comparada - MERCADO DE COMUNICAÇÕES DEVE CRESCER 6,5% AO ANO ATÉ 2011
Até 2009 investimento em publicidade na internet devem ultrapassar gasto na impressão de jornais...
17/06/2007 - Comunicação Comparada - JORNALISMO DE GUERRA
Guerra Fria - CIA - Espionagem - Meios de Comunicação...
23/05/2007 - Comunicação Comparada - NELSON TRAQUINA: JORNALISTAS NÃO LIGAM PARA A TEORIA
"Por que os estudos teóricos contribuem pouco para melhorar o jornalismo? Deve ser porque os jornalistas lêem pouco sobre eles"...
02/05/2007 - Comunicação Comparada - OBSERVATÓRIO DE DIREITO À COMUNICAÇÃO É LANÇADO NA INTERNET
Instância de acompanhamento e fiscalização das políticas públicas e das mobilizações sociais no campo da comunicação, o Observatório é, segundo especialistas, um marco de pionerismo no Brasil que transcende a luta pela democratização da comunicação para estabelecer o paradigma do direito humano à comunicação....
02/05/2007 - Comunicação Comparada - EDITOR TAMBÉM RESPONDE JUDICIALMENTE POR MATÉRIAS OFENSIVAS
Cuidado na hora de assinar o expediente... ...
17/12/2006 - Comunicação Comparada - PESQUISA AFIRMA QUE MÍDIAS DIGITAIS SÃO MAIS POPULARES QUE OUTROS VEÍCULOS
Todos os meios, principalmente o impresso, estão buscando uma adaptação, um novo fôlego....
12/12/2006 - Comunicação Comparada - PESQUISA MOSTRA COMO A PROPAGANDA IMPRESSA E TELEVISIVA INFLUENCIA O CONSUMO DOS BRASILEIROS
No Brasil, as propagandas impressa e televisiva aparecem como principal fator de influência na escolha do presente...
14/11/2006 - Comunicação Comparada - ABRIL LANÇARÁ REVISTA 100% ESCRITA PELOS LEITORES
Considerado o principal lançamento da empresa nos últimos 10 anos, a publicação terá periodicidade semanal, tiragem inicial de 850 mil exemplares e preço de capa de R$ 1,99. Trata-se do primeiro lançamento da editora no segmento Vida Real...
24/10/2006 - Comunicação Comparada - COMUNICAÇÃO EM SAÚDE
Publicação faz um balanço da produção nacional nesse campo do conhecimento. ...
24/10/2006 - Comunicação Comparada - O JORNALISMO CIENTÍFICO E O COMPROMISSO DAS FONTES
O bom jornalista procura recursos para qualificar a informação...
02/10/2006 - Comunicação Comparada - O FOGO CRUZADO DO JORNALISMO DE CIÊNCIA
Há uma pressuposição de que à imprensa cabe um papel passivo na divulgação científica. ...
28/09/2006 - Comunicação Comparada - REDAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS
Para quem está de olho nos TCCs...
18/09/2006 - Comunicação Comparada - "JORNALISMO GONZO EXIGE PESQUISA PROFUNDA"
Prof. Tognolli inspira discípulos...
31/08/2006 - Comunicação Comparada - A INFLUÊNCIA DAS GRANDES MARCAS NA VIDA DAS PESSOAS
TCC aborda o imaginário das marcas...
09/08/2006 - Comunicação Comparada - COLUNISTA GAÚCHO É CONDENADO POR OFENDER ÍNDIOS
Corrêa é julgado por crime de racismo contra indígenas ...
06/04/2006 - Comunicação Comparada - O FUTURO DA NAÇÃO ESTÁ EM SUAS MÃOS
Escolha de profissão ainda é dilema...
29/03/2006 - Comunicação Comparada - EXIGÊNCIA DO DIPLOMA CONTINUA EM VIGOR
Legislação profissional permanece válida e que os registros de precários não têm mais valor. ...
15/03/2006 - Comunicação Comparada - MATO GROSSO APROVA COTA PARA PROFESSOR NEGRO
Depois da polêmica por conta da criação de cotas para estudantes, agora as universidades e o Ministério da Educação começam a discutir a criação de reserva de vagas para professores negros...
01/03/2006 - Comunicação Comparada - NOTÍCIA NO SEU CELULAR
Rádio Bandeirantes encontra novo nicho de mercado de informação...
22/02/2006 - Comunicação Comparada - CASO ESCOLA BASE
Desrespeito à ética do jornalismo e ao direito por Rogério Duarte Fernandes dos Passos...
22/12/2005 - Comunicação Comparada - JORNALISMO PÚBLICO: POPULAR OU POPULARESCO ?
Há cunho social no que está sendo escrito?...
22/12/2005 - Comunicação Comparada - JORNALISMO PÚBLICO: O RECEPTOR COMO FONTE
A teoria de David Berlo às avessas...
29/11/2005 - Comunicação Comparada - POR OUTRO LADO...
Brasil segue líder mundial em tempo gasto na Internet ...
02/06/2005 - Comunicação Comparada - ALUNOS E EDITORAS DUELAM POR XEROX DE OBRA
Associações de editores intensificam ações policiais e de conscientização; docentes recomendam cópias parciais ...
09/12/2004 - Comunicação Comparada - VERDADES QUE ACUSAM
Não fazendo muito mais do que a sua profissão manda, bons jornalistas arriscam suas próprias vidas para apurar casos que os envolvem em situações de risco, tudo pelo amor à profissão...
09/12/2004 - Comunicação Comparada - OFICINAS DE ENSINO GARANTEM MELHOR FORMAÇÃO
Alunos que participam saem na frente no mercado de trabalho...
25/11/2004 - Comunicação Comparada - NESTLÉ É A MARCA QUE MAIS RESPEITA O CONSUMIDOR
Empresa foi a mais votada em eleição organizada pela Rádio Bandeirantes ...



Capa |  AGENCIA DE NOTÍCIAS  |  PROFESSORES DO UniFIAM FAAM  |  UniFIAM FAAM DIGITAL
Busca em

  
4182 Notícias