| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Momento UniFIAMFAAM - Semanário Digital
Desde: 06/12/2001      Publicadas: 4183      Atualização: 26/09/2007

Capa |  AGENCIA DE NOTÍCIAS  |  PROFESSORES DO UniFIAM FAAM  |  UniFIAM FAAM DIGITAL


 UniFIAM FAAM DIGITAL

  02/06/2005
  0 comentário(s)


ALUNOS E EDITORAS DUELAM POR XEROX DE OBRA

Associações de editores intensificam ações policiais e de conscientização; docentes recomendam cópias parciais

ALUNOS E EDITORAS DUELAM POR XEROX DE OBRAA antes "inofensiva" xerox nas universidades é hoje motivo de uma disputa milionária. De um lado, editoras querem acabar com a prática para garantir a venda de seus livros. Do outro, alunos e docentes tentam defender o que eles consideram uma ferramenta indispensável para o ensino. Enquanto não há acordo, estudantes de instituições tradicionais, como USP e PUC-SP, continuam com acesso às fotocópias, mas com restrições. A ABDR (Associação Brasileira de Direitos Reprográficos) calcula que perdeu, em 2004, R$ 400 milhões com livros didáticos devido à xerox ilegal -mesmo valor do faturamento com a atividade no ano passado. Para tal estimativa, comparou-se a relação venda de livros por aluno de oito anos atrás com os dados atuais.

"O livro é uma indústria e precisa sobreviver", afirmou o editor e diretor da ABDR Mauro Koogan, durante painel sobre o assunto na Bienal do Livro do Rio. Por isso, a associação decidiu intensificar as ações, desde o ano passado, tanto de conscientização quanto policiais. Para a primeira, foram distribuídas 80 mil cartilhas a reitores e a professores em todo o país.

As delegacias também passaram a ser mais acionadas pela representante dos editores. Em março deste ano, houve 26 ações de busca e apreensão contra copiadoras da região metropolitana de São Paulo. Foram apreendidos 44 livros e 141 pastas de professores (partes de obras separadas para leitura dos alunos). Com tal procedimento, a ABDR tenta acabar com as fotocópias de livros inteiros ou de capítulos - aí incluem-se as pastas dos docentes.

Se tiver sucesso, a associação afirma que poderá diminuir o preço das obras. "Com tiragens maiores, os preços seriam menores", afirmou o diretor da ABDR Jackson Alves. Para quem precisa de apenas alguns capítulos, a associação propõe que sejam feitos livros específicos para cada curso, com uma coletânea de diversas obras, ou um sistema em que o interessado possa, por meio da internet, baixar o arquivo com o texto.

Oposição - A questão é analisada pelo Conselho de Combate à Pirataria e Delitos contra a Propriedade Intelectual, do Ministério da Justiça. "Pretendemos intermediar um acordo", disse o presidente da comissão, Luiz Paulo Barreto. A proibição até de capítulos é considerada inviável por alunos e professores. "É um absurdo", disse o presidente da Adusp (Associação dos Docentes da USP), Américo Kerr. "O aluno vai comprar todos os livros? Não dá." "É preciso haver um meio-termo. Não permitir cópia total, mas trechos, capítulos, é importante", afirmou o presidente da UNE (União Nacional dos Estudantes), Gustavo Petta. "[A xerox] é o único recurso para os estudantes poderem acompanhar o curso." Aluna de direito da PUC-SP, Maria Fernanda Paixão Fabi, 26, é um caso que mostra como as fotocópias estão presentes na vida dos universitários: ela gasta cerca de R$ 30 por mês com xerox, o que equivale a 300 cópias. "Como poderia fazer um trabalho com quatro, cinco livros?", indagou. A PUC-SP tem uma comissão que analisa o assunto. O coordenador do grupo, Guilherme Simões, vê problemas nas propostas da ABDR, principalmente com relação a livros específicos para os cursos. "A associação não cobre todo o mercado, como editoras extintas ou
estrangeiras", disse o professor, que é chefe-de-gabinete da universidade. Simões contou que há docentes que passaram a produzir os textos, para evitar a pasta na xerox. "Está sendo feito de forma improvisada. O aluno acaba perdendo o contato direto com o autor, uma das funções da universidade." A PUC-SP, a USP e a FGV (Fundação Getúlio Vargas) estão se reunindo para tratar do assunto.

Em atividade - Em meio à polêmica, o meio acadêmico vai se adaptando às constantes fiscalizações. Na USP, por exemplo, há algumas restrições, mas cada central de fotocópias segue um padrão. "Não consegui tirar cópia de um livro [na xerox da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas]. Queria só quatro páginas", afirma Julia Rodrigues, 21, aluna de letras. Seu colega Roberto Troccoli Jr., 23, tem opinião diferente. "Está tudo como era antes." Se há restrições quanto à reprodução de livros, em relação às pastas dos professores os estudantes ouvidos pela reportagem foram unânimes: os capítulos separados pelos docentes continuam sendo copiados. "Elas só não ficam mais tão visíveis como antes", diz Tiago Murakami, 23, que cursa biblioteconomia. Na PUC-SP, as cópias em postos da universidade foram proibidas, mas os centros acadêmicos continuam oferecendo os serviços. É lá que estão as pastas dos docentes.

Internet é opção contra cópia ilegal

O computador poderá ser uma das formas de atenuar o problema das fotocópias
ilegais feitas pelos alunos. Propostas tanto de editoras quanto de universidades sugerem esse meio como uma alternativa ao problema. A editora Forense criou um método em que o interessado pode baixar pela internet um índice de suas obras disponíveis, que atualmente são 740. Os textos que interessarem poderão ser comprados e baixados na máquina do usuário. Por meio de boleto bancário ou de cartão de crédito, o leitor pode adquirir uma cota, que vai de R$ 20 a R$ 1.000. Desse valor serão debitados os "downloads". O sistema foi lançado em 2003 e hoje representa 5% do faturamento da empresa. A ABDR (Associação Brasileira de Direitos Reprográficos) quer que o sistema seja utilizado por outras editoras. Já a PUC-SP propõe um sistema de intranet em que todas as obras ou trechos exigidos pelos cursos da instituição estejam disponíveis no sistema. Os alunos carregariam cartões específicos com créditos e poderiam imprimir os textos em terminais na universidade. Para isso, seria debitado do cartão dos alunos um valor que correspondesse tanto ao custo da operação quanto à quantia destinada às editoras e aos autores.

Mais fiscalização - O aumento da fiscalização contra a xerox ocorreu no ano passado, quando a ABDR decidiu não permitir mais fotocópias em universidades. Antes, cerca de 200 estabelecimentos no país tinham um acordo com a entidade. Elas podiam xerocar até 10% das obras, mas precisavam ser cadastradas e pagar mensalidades e uma taxa sobre cada cópia. "Era impossível fiscalizar. As casas abusavam, tiravam muito mais do que o permitido", afirma o diretor da ABDR Jackson Alves. Por conta disso, a associação decidiu impor à risca a lei nº 9.610, de 1998 (Lei de Direitos Autorais). Se não houver autorização expressa, segundo a norma, será permitida apenas a reprodução de "pequenos trechos" - sem estabelecer porcentagem. No entender da ABDR, está liberada a cópia de até duas páginas.

A idéia de que se havia liberado 10% de cópias em todos os casos foi disseminada por todo o país. Até em algumas bibliotecas públicas isso ocorre. Um dos casos é a biblioteca do Centro Cultural São Paulo, na capital paulista. Segundo o editor e diretor da ABDR Mauro Koogan, não estão previstas ações específicas em bibliotecas públicas. "Esperamos que, com toda essa polêmica, as pessoas se conscientizem", diz.

Fonte: (Fábio Takahashi da Reportagem Local - Folha de S.Paulo)
  Autor:   Fonte: (Fábio Takahashi da Reportagem Local - Folha de S.Paulo)


  Mais notícias da seção Comunicação Comparada no caderno UniFIAM FAAM DIGITAL
20/09/2007 - Comunicação Comparada - FENAJ DISPONIBILIZA TEXTO ATUALIZADO DO CÓDIGO DE ÉTICA
O Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros vigora há 20 anos...
23/08/2007 - Comunicação Comparada - GLOBO CONDENADA A PAGAR R$ 350 MIL A DESEMBARGADOR
Ação foi motivada por reportagens que teriam 'ferido a honra' da família do magistrado...
08/08/2007 - Comunicação Comparada - SÓ HÁ VIOLAÇÃO DA HONRA SE JORNAL DIVULGA NOTÍCIAS FALSAS
Por dentro de legislação em comunicação.... ...
26/06/2007 - Comunicação Comparada - MERCADO DE COMUNICAÇÕES DEVE CRESCER 6,5% AO ANO ATÉ 2011
Até 2009 investimento em publicidade na internet devem ultrapassar gasto na impressão de jornais...
17/06/2007 - Comunicação Comparada - JORNALISMO DE GUERRA
Guerra Fria - CIA - Espionagem - Meios de Comunicação...
23/05/2007 - Comunicação Comparada - NELSON TRAQUINA: JORNALISTAS NÃO LIGAM PARA A TEORIA
"Por que os estudos teóricos contribuem pouco para melhorar o jornalismo? Deve ser porque os jornalistas lêem pouco sobre eles"...
02/05/2007 - Comunicação Comparada - OBSERVATÓRIO DE DIREITO À COMUNICAÇÃO É LANÇADO NA INTERNET
Instância de acompanhamento e fiscalização das políticas públicas e das mobilizações sociais no campo da comunicação, o Observatório é, segundo especialistas, um marco de pionerismo no Brasil que transcende a luta pela democratização da comunicação para estabelecer o paradigma do direito humano à comunicação....
02/05/2007 - Comunicação Comparada - EDITOR TAMBÉM RESPONDE JUDICIALMENTE POR MATÉRIAS OFENSIVAS
Cuidado na hora de assinar o expediente... ...
17/12/2006 - Comunicação Comparada - PESQUISA AFIRMA QUE MÍDIAS DIGITAIS SÃO MAIS POPULARES QUE OUTROS VEÍCULOS
Todos os meios, principalmente o impresso, estão buscando uma adaptação, um novo fôlego....
12/12/2006 - Comunicação Comparada - PESQUISA MOSTRA COMO A PROPAGANDA IMPRESSA E TELEVISIVA INFLUENCIA O CONSUMO DOS BRASILEIROS
No Brasil, as propagandas impressa e televisiva aparecem como principal fator de influência na escolha do presente...
28/11/2006 - Comunicação Comparada - MÉDICOS TEMEM 'GOOGLE-CONSULTÓRIO'
Estudo diz que site permite identificar corretamente doenças, mas há risco de automedicação e diagnóstico errado ...
14/11/2006 - Comunicação Comparada - ABRIL LANÇARÁ REVISTA 100% ESCRITA PELOS LEITORES
Considerado o principal lançamento da empresa nos últimos 10 anos, a publicação terá periodicidade semanal, tiragem inicial de 850 mil exemplares e preço de capa de R$ 1,99. Trata-se do primeiro lançamento da editora no segmento Vida Real...
24/10/2006 - Comunicação Comparada - COMUNICAÇÃO EM SAÚDE
Publicação faz um balanço da produção nacional nesse campo do conhecimento. ...
24/10/2006 - Comunicação Comparada - O JORNALISMO CIENTÍFICO E O COMPROMISSO DAS FONTES
O bom jornalista procura recursos para qualificar a informação...
02/10/2006 - Comunicação Comparada - O FOGO CRUZADO DO JORNALISMO DE CIÊNCIA
Há uma pressuposição de que à imprensa cabe um papel passivo na divulgação científica. ...
28/09/2006 - Comunicação Comparada - REDAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS
Para quem está de olho nos TCCs...
18/09/2006 - Comunicação Comparada - "JORNALISMO GONZO EXIGE PESQUISA PROFUNDA"
Prof. Tognolli inspira discípulos...
31/08/2006 - Comunicação Comparada - A INFLUÊNCIA DAS GRANDES MARCAS NA VIDA DAS PESSOAS
TCC aborda o imaginário das marcas...
09/08/2006 - Comunicação Comparada - COLUNISTA GAÚCHO É CONDENADO POR OFENDER ÍNDIOS
Corrêa é julgado por crime de racismo contra indígenas ...
06/04/2006 - Comunicação Comparada - O FUTURO DA NAÇÃO ESTÁ EM SUAS MÃOS
Escolha de profissão ainda é dilema...
29/03/2006 - Comunicação Comparada - EXIGÊNCIA DO DIPLOMA CONTINUA EM VIGOR
Legislação profissional permanece válida e que os registros de precários não têm mais valor. ...
15/03/2006 - Comunicação Comparada - MATO GROSSO APROVA COTA PARA PROFESSOR NEGRO
Depois da polêmica por conta da criação de cotas para estudantes, agora as universidades e o Ministério da Educação começam a discutir a criação de reserva de vagas para professores negros...
01/03/2006 - Comunicação Comparada - NOTÍCIA NO SEU CELULAR
Rádio Bandeirantes encontra novo nicho de mercado de informação...
22/02/2006 - Comunicação Comparada - CASO ESCOLA BASE
Desrespeito à ética do jornalismo e ao direito por Rogério Duarte Fernandes dos Passos...
22/12/2005 - Comunicação Comparada - JORNALISMO PÚBLICO: POPULAR OU POPULARESCO ?
Há cunho social no que está sendo escrito?...
22/12/2005 - Comunicação Comparada - JORNALISMO PÚBLICO: O RECEPTOR COMO FONTE
A teoria de David Berlo às avessas...
29/11/2005 - Comunicação Comparada - POR OUTRO LADO...
Brasil segue líder mundial em tempo gasto na Internet ...
09/12/2004 - Comunicação Comparada - VERDADES QUE ACUSAM
Não fazendo muito mais do que a sua profissão manda, bons jornalistas arriscam suas próprias vidas para apurar casos que os envolvem em situações de risco, tudo pelo amor à profissão...
09/12/2004 - Comunicação Comparada - OFICINAS DE ENSINO GARANTEM MELHOR FORMAÇÃO
Alunos que participam saem na frente no mercado de trabalho...
25/11/2004 - Comunicação Comparada - NESTLÉ É A MARCA QUE MAIS RESPEITA O CONSUMIDOR
Empresa foi a mais votada em eleição organizada pela Rádio Bandeirantes ...



Capa |  AGENCIA DE NOTÍCIAS  |  PROFESSORES DO UniFIAM FAAM  |  UniFIAM FAAM DIGITAL
Busca em

  
4183 Notícias